Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



As preocupações da vida !

por Teresa, em 10.11.14

image.jpg

Uma coisa que se aprende quando se é mais velho é que, por muito que queiramos,nunca mais voltamos a levar a vida com a despreocupação e a leveza de quando se é jovem.

E o mais terrível de tudo é que, nesta altura do campeonato, não podemos choramingar ou mostrar a nossa fragilidade, perante os problemas que a vida nos vai colocando. Não! Nada disso!

Bons tempos aqueles em que tínhamos os mimos dos avós e dos pais que estavam sempre lá para nos ampararem na queda!

Mas agora os adultos somos nós! E se nós nos pusermos a chorar... Chora tudo minha gente...e a coisa ficaria muito negra!

Tive recentemente uma experiência dessas ( graças a Deus já a ser ultrapassada)... e ...apesar da preocupação que estava a sentir no momento tive de brincar com a situação .

-Mas eu não quero ser operada! - diziam-me pela milésima vez.

- Tem de ser, porque aqui não há opção!- repetia eu, também pela milésima vez!

Lembrei-me de contar uma história que o Herman José costuma contar publicamente sobre o dia em que nasceu. A mãe foi para a maternidade e às tantas, com aquelas dores tão fortes, começou a dizer em voz estridente:

-" Ai agora já não me apetece ! Quero me ir embora para casa já!"( como eu a compreendo!)

Na verdade há coisas que têm de ser e o que tem de ser tem muita força!

A minha própria mãe, há 10 anos atrás, teve de ser levada à má fila ao hospital porque tinha uma angina de peito que lhe estava a causar dores terríveis mas que por, ter pavor de hospitais, médicos e doenças, andava a esconder da família o que se estava realmente a passar com ela.

Claro que o veredicto foi internamento imediato, seguido de operação urgente porque tinha as artérias coronárias todas entupidas.

- Eu??? Internada??!!!!- dizia a minha mãe- nem pensar! Vou já para minha casa! Concerteza que um simples comprimido bastava para resolver a situação, sem necessidade de internamentos, ou coisas do género - refilava ela.

Era daqueles casos em que a opção só podia ser uma: ou era operada ou era operada. Sem isso morreria !

Foram precisas três horas e muitas explicações para a convencer a ficar e quando se apercebeu que não tinha alternativa possível ficou zangada com quem a tinha levado ao hospital: o meu pai, uma das minhas irmãs e o santo do genro, meu marido, que ainda hoje, cada vez que conta a história, diz que nunca viu uma cena daquelas na vida dele.

E quem disse que a vida era simples?!

publicado às 20:15



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Comentários recentes

  • Teresa

    Fico contente quando as pessoas gostam do que escr...

  • fashion

    Gostei muito, Parabéns!

  • Chic'Ana

    A taça é nossa!!! =)

  • Teresa

    É mesmo ! eu adoro a ingenuidade destas idades!

  • Chic'Ana

    Tão gira!!! =)


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D


Mensagens