Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Perplexidades infantis - A confissão dos meus pecados

por Teresa, em 14.08.15

fotog cofissão on line.jpg

 

Até ao secundário andei num Colégio de Freiras, que adorei!

 

 Foi lá que, com a ajuda preciosa das freiras e das professoras que ali leccionavam, a minha personalidade começou a ser moldada.

Ainda hoje sou religiosa, acredito em Deus, mas não sou praticante.

 

Há coisas que me  levantam muitas dúvidas e que, já naquela altura, me causavam alguma perplexidade.

 

Duas vezes por mês, podiamos ser dispensadas das aulas para nos irmos confessar.

Claro que, apesar de não ser obrigatório, ía tudo minha gente! Era a única forma de nos livrarmos da seca da aula que estávamos a ter, para  podermos cumprir um dever religioso.

 

E aí a euforia era total! Que bom vir apanhar ar! Aquele intervalo vinha memo a calhar!

 

Mas, passada a euforia inicial, a ida ao confessionário não tinha nada de entusiasmante.

 

Afinal o que é que nós, miúdas de 10, 11 e 12 anos, podíamos ter feito assim de tão grave para nos termos de confessar? Quantos pecados deveríamos ter feito (um, dois, três)? Não seria preferível confessarmo-nos directamente a Deus?

 

Chegadas lá abaixo à Capela do Colégio, e enquanto esperávamos pela nossa vez, sentadinhas no banco, questionávamo-nos sobre o que íriamos dizer ao padre:

- Vou dizer que bati à minha irmã - dizia uma;

- E, eu, que desobedeci à minha mãe - dizia outra;

- Pois eu vou confessar que digo muitos palavrões.

 

Bater na irmã?! Embirrar uma com a outra seria o mesmo?

Desobedecer aos meus Pais?! Amuar contaria?

Dizer palavrões?!"Parva"seria palavrão suficiente para confessar ao Padre?

 

Mas afinal o que faria ali, uma miúda como eu que, sem ter pretensões a ser uma futura Madre Teresa de Calcutá, era uma criança responsável, certinha e  muito by the Book ?!

 

Claro que quando chegava à minha vez, e porque achava que ficava mal não ter nada para confessar, acabava por inventar uma série de "pecados", onde misturava as coisas vividas por outras, e não por mim.

 

Reconheço agora que, sem nunca me ter apercebido, estava a cometer um verdadeiro pecado:mentir a alguém!

 

Ai maminka...maminka!!!!

 

 

 

publicado às 16:08


1 comentário

De BataeBatom a 22.08.2015 às 23:48

Realmente, há cada ritual..... Por vezes, até fazem o oposto do pretendido: afastam as crianças das práticas religiosas!
Outro exemplo: para quê, numa atividade religiosa, debitar várias palavras de forma mecânica em vez de optar por um momento de reflexão e partilha de experiências, muito mais enriquecedor e com mais sentido?
A missa na aldeia espantou-me - tornou-me totalmente anti-missas - e foi o SPES (Serviço Pastoral do Ensino Superior), em Coimbra, que me cativou e me mudou nesse aspeto... E mudou tanto que cheguei a ser, com outro amigo, coordenadora do SPES_Saúde no ano passado!
A missa que frequento no Hospital da Universidade, por exemplo, é mais "leve" do que aquelas a que estamos acostumados. Uma leitura basta, as orações debitadas são reduzidas e privilegia-se o momento de partilha e reflexão em conjunto, muitas vezes com visualização de vídeos ou uma atividade dinâmica. Qualquer pessoa (estudante, doente, familiar, profissional de saúde ou outro) pode e é incentivada a partilhar algumas palavras, relacionadas ou não com o tema do dia.
Viver estas experiências de enriquecimento espiritual com pessoas mais jovens é compleeeetamente diferente...

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Comentários recentes

  • Teresa

    Fico contente quando as pessoas gostam do que escr...

  • fashion

    Gostei muito, Parabéns!

  • Chic'Ana

    A taça é nossa!!! =)

  • Teresa

    É mesmo ! eu adoro a ingenuidade destas idades!

  • Chic'Ana

    Tão gira!!! =)


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D


Mensagens