Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A minha " barriga de freira"

por Teresa, em 26.08.14


Ele há mistérios que não se conseguem explicar ...

Como tenho dito sempre não gosto absolutamente nada de cozinhar: desespero só com a ideia de ter de fazer uma refeição que seja, horroriza-me estar fechada na mesma divisão (parece que se chama cozinha) a conviver com tachos, panelas, pratos e colheres de pau, enervo-me com tudo o que diga respeito à culinária, fico paralisada se não tenho uma receita na mão a indicar-me tudo o que tenho de fazer,stresso só de pensar que tenho de utilizar o fogão....

Ao contrário da maioria das pessoas, não tenho que cozinhar praticamente nunca e, só por isso, agradeço imenso ao meu Deus!

Estranhamente,porém, adoro coleccionar livros de cozinha! Tenho imensos,desde os de doce aos de comida regional, e estão todos lindamente empilhados em cima do meu frigorífico !

Tenho imensa estimação por eles e, por isso, fico muito indignada quando o meu marido me diz:
- Porque é que não os atira fora? Não servem para nada!

Como não me servem para nada ?!!!!

Farto-me de folhear aqueles livros e olhar, com admiração, para as milhentas receitas apresentadas, nas mais variadas formas e cores. E parecem ser todas divinais !

Angustia-me, às vezes, não conseguir passar da contemplação à prática, isto é, olhar para uma receita e não conseguir transformá- la no jantar de família, desse dia.

Acontece que sou daquelas loiras, muito loiras (ou morena que um dia acordou com o cabelo loiro, se preferirem) que precisa de ter tudo explicadinho passo a passo, com termos simples, claros e precisos para poder passar à acção.

Antes de casar, o mais perto de receita bem explicada que tinha, eram aquelas que o Chefe Silva apresentava nos seus programas de culinária, ou as que a Maria de Lourdes Modesto colocava no seu livro, ou as receitas da Vaqueiro.

Quem era o Chefe Silva e a Maria de Lourdes Modesto ?! Eram uns queridos que entravam, muitas vezes, na casa de todos os portugueses porque felizmente só tínhamos 2 canais de televisão (mas isso é já outra história que fica para contar num outro post).

Agora com a internet tenho explicações muito mais pormenorizadas sobre cada coisa que queira fazer . Conseguem-nos ensinar até o significado de coisas que para mim eram do outro mundo, como " marinar", " refogar", "gratinar" e mais uma série delas que eu nem sabia existirem.

Depois de casar, tive até a ajuda do meu melhor amigo (que conheço desde os 6 anos) e que sempre me apoiou em tudo e, como óptimo cozinheiro que é, tentou passar -me o gosto pela cozinha.
Foi um querido , eu sei... mas das 30 e tal receitas que me ensinou acho que a única que consegui fazer e,repetir, foi uma entrada de cogumelos com queijo, que todos consideram uma delícia!

Gostava mesmo de cozinhar bem como esse meu amigo ou, como o meu marido!
Tivemos uma empregada brasileira que, cada vez que provava uma receita nova do meu marido exclamava :
- " Mmmmm... Isto é dos Deuses! "

Agora em férias passei, pode dizer-se, pela minha melhor experiência na cozinha : recebi imensos elogios depois de fazer um doce conventual que já tinha experimentado, mas que agora me saiu muito bem : a" barriga de freira"!
É um dos doces preferidos do meu marido que ADOROU A MINHA RECEITA e achou que estava parecida com o doce que comia em miúdo e, de que ainda hoje tem saudades.

Não deixando ainda de lado a insegurança que sempre senti na cozinha , acho que... aos poucos... vou conseguir dar uns passinhos nesta arte e quem sabe, qualquer dia vos apresente um prato à moda da maminka.

E esta hein?

publicado às 12:10

Odeio cozinhar!

por Teresa, em 17.05.14

Às vezes pergunto à Maria sobre os dotes culinários das amigas que lá estão a estudar e ela diz sempre:
- "Olha, mummy, ninguém tem jeito e são muito poucas aquelas que gostam de cozinhar!"

E explicou-me que, em geral, ou as maminkas as vão visitar e, lhes deixam refeições congeladas, ou conseguem safar-se todas recorrendo à chamada " fast food"!

Não tenho dúvida nenhuma que nestas novas gerações quem cozinha melhor são os rapazes! As raparigas não estão nem aí!

Bem ....aqui para nós,que ninguém nos ouve, confesso  que na minha família, à excepção da minha mãe (que é excelente cozinheira) são os homens os verdadeiros Chef de cuisine!

Sim.....eu e as minhas irmãs somos uma verdadeira catástrofe !
De tal forma que, quando andei a fazer experiências culinárias, antes do meu casamento, o meu pai ( que é um santo e não se queixa de nada) chegou mesmo a pôr-se de joelhos e pedir-me que acabasse com aquilo de uma vez por todas, porque tinha saudades da comida feita pela minha mãe! Também eu!

Nem sequer fiquei magoada porque reconheço o desastre que sou na cozinha!

Não me consigo esquecer que, depois de casada , ainda fiz duas derradeiras tentativas de apresentar uma refeição de jeito ao meu maridinho: a primeira era peixe no forno e tive de deitar tudo fora porque o peixe ficou cru. Também não admira : com o stress que tenho abri o forno mais de 20 vezes; da segunda vez tentei frango com caril e tive de deitar fora,para além da comida, a colher de pau que ficou amarela do excesso de caril que coloquei no frango ( um problema com os temperos, portanto)!

As minhas irmãs e primas/irmãs são do mesmo género!

A piada preferida do meu marido Pedro é dizer-nos, na cara, que a única coisa para a qual tivemos jeito foi para arranjar os maridos! E isso porque todas nós casamos com homens que são excelentes cozinheiros! E adoram ir para a cozinha ( brrr) fazer pratos gourmet !
Fico de boca aberta quando os vejo inventar pratos do mais esquisito que há, com uma mistura de ingredientes que eu diria que não resultaria nunca e que no final, além de ficarem deliciosos, têm uma apresentação requintadíssima!

Um espanto mesmo !!! É claro que têm nas mulheres as suas principais fãs! E enquanto eles estão na cozinha, nós aproveitamos para pôr a conversa em dia !

E essa coisa de inventar comidas não é comigo.Eu, só seguindo a receita e, mesmo assim,tem de ser uma coisa fácil....para loiras como eu....

Cada vez que me lembro da dificuldade que senti para perceber o que era " qb": " sal e pimenta q.b."- dizia a receita.
qb???!!!!! - pensei eu- mas o que raio querem dizer com isto? Cheguei a pensar, por momentos, que a receita tinha passado para chinês! Depois fiquei a saber que queria dizer" quanto baste" e fiquei exactamente na mesma: eu sabia lá quanto é que bastava?!!!!

Acho que já deu para perceber o que eu não percebo de cozinha!!!
Pois a Maria é do mesmo tipo e também não gosta nada.

Ainda, no outro dia, quando lhe gabei uma sopa que tinha acabado de fazer, respondeu - me em linguagem de emigrante: " but still odeio cozinhar".

Nos primeiros meses fez vezes sem conta sopa de cenoura ....que acabou por enjoar. Depois passou para outra de espinafres com courgettes ou, com pepino... Até hoje ainda não tem a certeza qual o legume que usou!

Mas a sopa ficou boa e isso é o que importa, para quem não gosta de cozinhar!

publicado às 09:12


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados


Comentários recentes

  • Anónimo

    Também li os livros da Anita na minha infancia. Te...

  • Teresa

    Fico contente quando as pessoas gostam do que escr...

  • fashion

    Gostei muito, Parabéns!

  • Chic'Ana

    A taça é nossa!!! =)

  • Teresa

    É mesmo ! eu adoro a ingenuidade destas idades!


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D


Mensagens